sete perguntas frequentes sobre pólipos endometriais

o endométrio é a parte que reveste o interior do útero. Em algumas mulheres este tende a crescer de forma excessiva e dar lugar aos pólipos endometriais, prolongamentos em forma de dedo que aderem à parede do útero.

os pólipos podem afetar 20% da população. Seu tamanho e número podem variar em cada mulher. Em algumas pode haver um único pólipo tão pequeno como uma semente, enquanto em outros casos pode chegar a ser semelhante a uma bola de pingue-pongue, ou apresentar vários.

hoje, como explica Guillem Cabero, ginecologista do Hospital Quirónsalud Barcelona, não se sabe por que os pólipos surgem. “Conhecemos grupos de mulheres onde esta patologia ocorre com mais frequência e, portanto, nos obriga a ter um maior controle”, afirma. “Essas mulheres costumam ser obesas com estados de hiperestrogenismo persistente ou pacientes com tratamentos específicos como o tamoxifeno (muito utilizado no câncer de mama) ou mulheres com histórico de câncer genético, sobretudo, do cólon”.

o desconhecimento sobre esta afecção é grande apesar de que afeta 20% das mulheres, pelo que Cabero resolve algumas das dúvidas mais frequentes:

Qué Que sintomas tem a mulher?

o pólipo pode se manifestar de diferentes maneiras, embora a maioria dos pólipos não produza sintomas: muitos dos pólipos são diagnosticados casualmente durante uma revisão de rotina.

nas situações em que há sintomas, o mais frequente é a alteração do sangramento vaginal. “Seja com manchas de menstruação mais prolongadas e / ou abundantes ao longo do tempo, também na forma de sangramentos após a relação sexual ou perdas irregulares fora da menstruação”, observa Cabero. “Alguns pólipos produtores de muco (muito menos frequentes em número) podem se manifestar como um aumento no fluxo da mulher”.

Raramente um pólipo produz dor.

Cómo como isso afeta suas chances de engravidar?

cerca de 20-25 por cento das mulheres que são estéreis têm pólipos endometriais. De fato, a evidência científica destaca que o tratamento de um pólipo grande (maior que 2 cm) melhora claramente o resultado fertilização.

pólipos os pólipos são malignos?

de acordo com Cabero, menos de cinco por cento dos pólipos são malignos ou pré-malignos. “A probabilidade de sofrer um pólipo maligno aumentará sobretudo em mulheres pré ou pós-menopáusicas (es é muito raro encontrar um pólipo maligno em mulheres férteis!) “, afirma o especialista.

a clínica do pólipo maligno é de manchas pós-menopáusicas e há estudos que também correlacionam o tamanho do mesmo (superior a 2 cm) com a maior possibilidade de que sejam malignos. Também nas pacientes com tamoxifeno é mais frequente a que não sejam benignos.

o especialista diz que só podemos considerar não remover os pólipos que são pequenos (menos de 1 cm), assintomáticos e estáveis ao longo do tempo. O resto tem que ser retirado.

Cómo como eles são diagnosticados?

o método de diagnóstico mais comum costuma ser a ultrassonografia aplicada por via vaginal. “Aumentamos o diagnóstico dos mesmos se for realizado na primeira fase da menstruação em mulheres férteis, já que é então que o endométrio está menos estimulado e é menos frequente que nos possa passar despercebido”, esclarece Cobero, que assinala que os avanços em testes diagnósticos permitiram a possibilidade de fazer a ecografia adicionando líquido dentro da cavidade para poder separar as duas paredes do útero e poder ver com maior exatidão a presença ou não do mesmo. Este teste é chamado histerossonograma

outra maneira de diagnosticá-lo é fazendo uma biópsia endometrial às cegas, embora esta técnica esteja em desuso nos países desenvolvidos. Atualmente, o estudo e tratamento da cavidade endometrial é realizado com histeroscopia, um teste que permite abordar o interior do útero através do colo do útero sob controle de visão.

pude foi possível prevenir o seu aparecimento?

Como não sabemos sua origem, não podemos preveni-los.

Qué Que tratamentos existem?

o tratamento do pólipo, na maioria dos casos, costuma ser a remoção do mesmo.

a histeroscopia é uma tecnologia simples e muito pouco invasiva que permite sua remoção de maneira muito rápida e segura.

Debe a mulher deve se preocupar?

“categoricamente não”, responde taxativamente Cobero, que explica que a possibilidade de um pólipo endometrial ser maligno é rara. Além disso, sua remoção fácil e segura. “Mesmo diante da surpresa de um pólipo maligno, a simples remoção do mesmo pode representar sua cura sem ter que fazer mais nada”, conclui o especialista.

Veja também:

Mulher tomando uma vacina dez Dúvidas Frequentes sobre o vírus do papiloma humano

 mulher com calor menopausa: dicas para enfrentá-la

 Mulher jovem e mais velhacomo muda o corpo da mulher dos 20 aos 60 anos

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.