doença pelo vírus Ebola

o primeiro surto documentado de Ebola ocorreu em 1976, simultaneamente no Zaire e no Sudão (áreas que hoje pertencem à República Democrática do Congo e ao Sudão do Sul, respectivamente), onde foram detectados 3418 casos e 2830 mortes com uma taxa de letalidade de 83%. Este surto foi causado pelo vírus Ebola-Zaire, uma das cepas mais epidêmicas e mortais da história. Os surtos de febres hemorrágicas virais têm uma taxa de mortalidade entre 41 e 89%.

morcegos frugívoros, em particular Hypsignathus monstrosus, Epomops franqueti e Myonycteris torquata, são considerados os hospedeiros naturais do vírus Ebola na África. Portanto, a distribuição geográfica dos Ebolavírus pode inicialmente coincidir com a dos morcegos. Em 1976, cerca de 92% dos infectados morreram.

Dada a natureza letal do Ebola, uma vez que não existe uma vacina aprovada ou o tratamento não está disponível, é classificado como um agente de biossegurança de Nível 4, pelos Centros De Controle e prevenção de doenças dos Estados Unidos. É classificado como categoria A como agente de bioterrorismo, porque tem o potencial de servir como arma para uso em guerra biológica.

em 2014, nos Estados Unidos, um soro foi testado experimentalmente em duas pessoas infectadas por este vírus; tal soro pode ser a cura para esta doença, embora não haja mais detalhes sobre ele. Na Espanha, em 2014, este soro também foi aplicado a um paciente, que no entanto 2 dias depois faleceu.

Transmissãoeditar

Micrografia eletrônica do vírus Ebola.

Ciclo do vírus Ebola

Carne de caça (morcegos, macacos, etc.) sendo preparada para cozinhar em Gana, 2013. O consumo humano de carne de animais equatoriais na África está ligada à transmissão de várias doenças humanas, entre elas o Ebola.

o vírus Ebola foi introduzido na população humana como resultado do contato direto com o sangue, secreções, órgãos ou outros fluidos corporais de animais infectados. Este vírus só é transmitido através do contato direto com fluidos do corpo infectado de mamíferos. Na África comprovaram-se casos de infecção associados à manipulação de chimpanzés, gorilas, morcegos da fruta, macacos, antílopes das florestas e porcos-espinhos infectados que haviam sido encontrados mortos ou doentes na selva. Mesmo depois de práticas de embalsamamento continua o risco de contágio.

Posteriormente, o vírus se espalhou na comunidade por transmissão de pessoa para pessoa, devido ao contato próximo com o sangue, secreções, órgãos ou outros fluidos corporais de pessoas infectadas. As cerimônias de inumação nas quais os membros do cortejo fúnebre têm contato direto com o cadáver também podem desempenhar um papel significativo na transmissão.

surtos de febre Ebola na África de 1979 a 2008.

o vírus é transmitido por contato direto com líquidos corporais e excreções infectados como saliva, suor, sangue, sêmen, corrimento vaginal, somado aos líquidos biológicos de estudos bioquímicos como o cefalorraquidiano, o sinovial, o pleural ou o peritoneal, além de vômitos, urina e fezes, tanto de animais —principalmente macacos e morcegos— como de humanos, vivos ou falecidos. Também por contato indireto através de fômites ou reservatórios animais: aqueles que apresentam a infecção de forma assintomática (sem sintomas), mas contagiosa. As cerimônias de inumação realizadas em certas aldeias africanas devido à idiossincrasia parecem estar relacionadas ao contágio, já que os membros do cortejo fúnebre entram em contato direto com o cadáver.

no caso dos morcegos, estudos recentes mostram que o vírus Ebola coexistiu com os morcegos por pelo menos 25 milhões de anos em uma espécie de guerra armamentista na qual ambas as espécies evoluíram uma para se proteger da doença e a outra para continuar afetando-os. O estudo mostra que algumas espécies de morcegos desenvolveram mecanismos de proteção contra o vírus e, provavelmente em resposta, o vírus desenvolveu novos mecanismos para infectá-los.

número básico de reprodução – R0Editar

o número básico de reprodução – R0 do Ebola é baixo comparado com outras doenças contagiosas como a SARS, A AIDS, ou a gripe espanhola de 1918, isto significa que cada caso individual produz menos contágios que estas doenças durante o período de infecção do paciente. No caso do Ebola, o R0 está entre 1,2 e 1,9, o que significa que cada pessoa infectada, em média, contagiará entre 1,2 e 1,9 pessoas durante a duração da mesma.

Número básico de reprodução para diferentes doenças contagiosas

surgimento de cepas e surtos de ebolaeditar

Cepa Ebola-ZaireEditar

Ver artigo principal: Epidemia de Ebola 1976
surtos de Ebola-Zaire.

a cepa Ebola-Zaire tem a maior taxa de mortalidade, até 90% em algumas epidemias, com uma média de 83%.O primeiro surto ocorreu em 26 de agosto de 1976 em Yambuku, uma cidade no norte do Zaire (atualmente, República Democrática do Congo). O primeiro caso registrado foi Mabalo Lokela, um professor de escola de 44 anos que voltava de uma viagem pelo norte do Zaire. Sua febre alta foi diagnosticada como um caso de malária e, consequentemente, ele recebeu quinino. Lokela voltou ao hospital todos os dias; uma semana depois, seus sintomas incluíam vômitos incontroláveis, diarréia sangrenta, dor de cabeça, tontura e dificuldades respiratórias. Mais tarde começou a sangrar pelo nariz, boca e ânus morrendo em 8 de setembro de 1976, apenas 14 dias depois de manifestar os primeiros sintomas.

surto de Ebola na África ocidental de 2014Editar
artigos principais: surto de Ebola na África ocidental de 2014 e Ebola na Espanha.

em 2014 surgiu o maior surto da história desta cepa e também o maior surto de Ebola até então, afetando inicialmente a Guiné-Conacri e expandindo-se posteriormente para Serra Leoa, Libéria e Nigéria.

em 8 de agosto de 2014, a OMS decretou a situação como “emergência pública sanitária internacional” e recomendou medidas para deter sua transmissão em meio à expectante preocupação mundial ante o risco de pandemia global. Entre elas, pedia aos países onde haviam sido detectados afetados que declarassem emergência nacional e fazia um apelo à solidariedade internacional.

a declaração se produzia ao rondar o número de 1000 mortos pela epidemia que ameaçava continuar se espalhando após fracassar os mecanismos de contenção iniciais. Os primeiros afetados transportados oficialmente aos Estados Unidos durante o surto, foram levados a Atlanta para serem tratados com ZMapp, um soro experimental procedente de Genebra que havia dado resultados positivos com macacos. No dia 9 daquele mês, foi confirmado que a Espanha havia recebido o medicamento..

em 7 de outubro de 2014 foi declarado em Madri (Espanha) o primeiro caso de contágio de Ebola fora da África. Uma das auxiliares de enfermagem que atenderam o missionário repatriado de Serra Leoa, Manuel García Viejo (falecido por causa do vírus), foi contagiada pela doença. No dia 11 de outubro seguinte, soube-se de outro caso de contágio fora da África, ao ser infectada uma trabalhadora de saúde em Dallas (Estados Unidos) ao tratar o paciente Thomas Duncan, falecido como consequência da doença.

na Nigéria, o surto epidêmico que chegou ao país através de um voo com um passageiro infectado pôde ser totalmente controlado em outubro do mesmo ano, com um total de 19 contágios e 8 falecidos.

Data local de ocorrência Casos/mortes (taxa de letalidade)
1994: dezembro-fevereiro
Bandeira do Gabão

Gabão

49/29 (59 %)
1995: abril-junho
Bandeira do Zaire

Zaire (atualmente RDC)

345/256 (74 %)
1996: janeiro-abril
Bandeira do Gabão

Gabão

93/68 (73 %)
2001/2002: Outubro-Março
Bandeira do Gabão

Gabão e

 Bandeira da República do Congo

República do Congo

122/96 (79 %)
2002/2003: dezembro-abril
Bandeira da República do Congo

República do Congo, nas vilas de Mbomo e Kellé do Departamento Cuvette Ouest

143/128 (90 %)
2003: Novembro-Dezembro
Bandeira da República do Congo

República do Congo, nas vilas de Mbomo e Mbandza do Departamento Cuvette Ouest

35/29 (83 %)
2007: abril-Outubro Kasai Ocidental (

Bandeira da República do Congo

República do Congo)

264/187 (71 %)
2012: julho-outubro
Bandeira de Uganda

Uganda

24/17 (71 %)
2012: setembro-novembro
Bandeira da República Democrática do Congo

República Democrática do Congo

62/34 (55 %)
2014-2016
Bandeira da Guiné

Guiné,

 Bandeira Da Libéria

Libéria e

 Bandeira Da Serra Leoa

Serra Leoa (surto de Ébola na África Ocidental 2014)

28 610/11 308 (54 %)
2014: 6 de agosto a outubro
Bandeira da Nigéria

Nigéria

20/8
2014: 5 Outubro
Bandeira da Espanha

Espanha, primeiro contágio fora da África (ver Ebola na Espanha).

1/0
2014: 11 Outubro
bandeira dos Estados Unidos

Estados Unidos, primeiro contágio na América.

4/1
2017: 22 de abril
Bandeira da República Democrática do Congo

República Democrática do Congo

8/4
2021: 14 Fevereiro
Bandeira da Guiné

Guiné /

 Bandeira da República Democrática do Congo

República Democrática do Congo

30/15

Cepa Ebola-Sudãeditar

surtos de Ebola-Sudão.

Ebola-Sudão foi a segunda cepa classificada do vírus, em 1976. Aparentemente, originou-se entre os trabalhadores de uma fábrica de algodão em Nzara, Sudão, já que o primeiro caso registrado foi um dos trabalhadores. No entanto, os cientistas que analisaram todos os animais e insetos que havia na fábrica, não conseguiram encontrar nenhum que desse positivo ao vírus Ebola. O transmissor original ainda é Desconhecido.

a epidemia acabou causando 151 mortes entre as 285 pessoas que foram infectadas.

Data local de ocorrência Casos/mortes (taxa de letalidade)
1976 Condados de Nzara e Maridi (Sudão), No atual Estado de Equatoria Ocidental (Sudão do Sul) 285/151 (53 %)
1979 Condado de Nzara (Sudão) 34/22 (65 %)
2000 – 2001 Distritos de Gulu, Masindi, e Mbarara (Uganda) 425/224 (53 %)
2004 Sudão 17/7 (41 %)

Cepa Ebola-RestonEditar

apareceu em novembro de 1989 em um grupo de cem macacos (Macaca fascicularis) importados das Filipinas para Reston (Virgínia), EUA. EUA.Esta epidemia foi altamente letal em macacos, mas não causou nenhuma morte entre os humanos. No entanto, seis dos responsáveis pelo manuseio dos animais testaram positivo para o vírus, dois deles devido à exposição prévia. Sobre este incidente, o escritor americano Richard Preston, escreveu um livro de notável sucesso: the Hot Zone, traduzido para o espanhol com o título de Zona caliente.Mais macacos infectados com Ebola-Reston foram enviados de volta para Reston e Texas em fevereiro de 1990. Eles também foram detectados em 1992 em Siena (Itália) e no Texas novamente em março de 1996. Nenhum humano foi infectado nesses últimos surtos. Em 23 de janeiro de 2009, o governo das Filipinas anunciou a detecção de anticorpos IgG contra o vírus Ebola-Reston (ERV) em uma pessoa que poderia ter entrado em contato com porcos doentes.

em 30 de janeiro de 2009, o governo filipino anunciou a detecção de anticorpos anti-ERV em quatro outras pessoas: dois agricultores de Bulacán e outro de Pangasinán (as duas fazendas, ambas no norte de Luzon, estavam em quarentena por terem sido detectadas infecções suínas por ERV) e um açougueiro de um matadouro de Pangasinán.O caso soropositivo anunciado em 23 de Janeiro tem uma exploração doméstica de porcos em Ciudad Valenzuela (um bairro da área metropolitana de Manila). Cerca de 6.000 porcos de uma exploração pecuária situada ao norte de Manila foram abatidos para impedir a expansão de uma epidemia do vírus Ebola-Reston.

Micrografia eletrônica de cor realçada de partículas do vírus Ebola.

esses casos nas Filipinas representaram a primeira vez que o Ebola-Reston foi detectado em porcos, e também a primeira vez que se suspeitou de uma transmissão do vírus do porco para o ser humano.

Cepa Ebola-Tai-ForestEditar

este subtipo de Ebola foi descoberto entre chimpanzés das florestas de Tai na Costa do Marfim. Em 1 de novembro de 1994, os cadáveres de dois chimpanzés foram encontrados nesta floresta. As autópsias revelaram que havia sangue marrom no coração de ambos os chimpanzés, e que um deles apresentava os pulmões encharcados de sangue. Estudos de tecidos retirados de chimpanzés produziram muitas semelhanças com a cepa Ebola-Zaire que durante 1976 causou estragos no Zaire e no Sudão.Mais tarde, em 1994, mais chimpanzés mortos foram encontrados. Muitos deles testaram positivo para Ebola após o uso de testes moleculares. Acredita-se que a origem do surto tenha sido a carne de alguns macacos infectados da espécie Colobus vermelha que os chimpanzés atacavam.Um dos cientistas que realizaram as autópsias dos chimpanzés infectados contraiu Ebola. Ele desenvolveu os primeiros sintomas, semelhantes à dengue ou malária, cerca de uma semana após as autópsias. Ela foi transportada para a Suíça para tratamento. Duas semanas depois, ela recebeu alta e seis semanas após a infecção estava totalmente recuperada.

Cepa Ebola-BundibugyoEditar

em 29 de novembro de 2007, o ministro da saúde de Uganda confirmou que a febre hemorrágica, que matou pelo menos 35 pessoas e infectou 127 em Uganda, havia sido causada pelo vírus Ebola.As mortes foram registradas na região de Bundibugyo, na fronteira com a República Democrática do Congo.Depois de analisar amostras do Laboratório Nacional dos Estados Unidos e do Centro para o controle das doenças, a Organização Mundial da Saúde confirmou que se tratava de uma nova cepa do vírus Ebola.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.